rubembraga

 

“– Está claro, sei o que deseja dizer. Pelo fato de dar um valor psicológico a uma cor não quer dizer que eu não pinte. Faço pintura. Seria mais fácil fazer pintura apenas com as cores, as linhas, os volumes. Mas querer dar a isso um valor de sentimento não é perder de vista os valores plásticos, pelo contrário, é estudá-los mais a fundo”.

[Marc Chagall, in “Discussão com Marc Chagall”, no belo “Retratos Parisienses”, de Rubem Braga, que reúne textos – em grande parte perfis de gente como Picasso, Céline, Cocteau, Duke Ellington, Ungaretti e Thomas Man – que o cronista escreveu em torno de 1950, quando foi correspondente em Paris do “Correio da Manhã”.]

Anúncios
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s